domingo, 27 de abril de 2008

Ressaca ?



Foi foda... E eu pensei que não seria.Vi meus amigos,tomei um pouquinho de vinho,só um pouco a mais do que eu costumo beber.Bem,eles estavam (quase) todos lá,mas foi o suficiente pra me fazerem pensar como eu era querido,talvez não só naquele dia x).
Sim,logo no começo a gente encontrou Carol,que de longe eu reconheci mas fingi que não tinha visto.Muuuuito gente fina,inteligente e sarcástica xD.
Mauricio cantou parabéns em forma de gutural,mas peraí... Tô atropelando os acontecimentos,só que foi tanta coisa legal que eu nem sei por onde começar.Algo muuito melhor que bolos,chocolates e balões.Eu me vi cercado de gente que pouco conhecia também,mas que tavam valorizando aquele momento.

Eu já ia comentar sobre algo...
Algo do tipo "ela não tá aqui...",ou "poxa,e se ela estivesse...",eu queria realmente que ela estivesse aqui,e pensei o tempo todo sobre isso.O melhor presente que ganhei foi uma tarde no meu dia.Bom,acredite ou não senti muito a falta de alguém que amei mais que a vida,não tive abraços ou beijos.Mas tive palavras,só que não pareciam o bastante pra mim,mas adorei tudo,repetidamente tudo.
De forma alguma eu vou ter a mesma importancia daqui a poucos dias,eu sei.Mas eu vou estar por aí,não pra dizer entre linhas que foi melhor sem a minha presença [sei que vai ser],mas pra lembrar o quanto és importante pra mim,e do dia em que veio ao mundo.


não quero escrever mais.

sábado, 26 de abril de 2008

26 de abril,[nem parece] aqui vou eu de novo...


Aqui vou eu de novo

Não, eu não sei aonde eu estou indo

Mas com certeza eu sei onde estive

Esperando as promessas nas canções de ontem

E eu mudei de idéia

Eu não vou mais perder tempo

Embora eu continue procurando por uma resposta

Eu pareço nunca encontrar o que procuro

Oh Senhor eu rezei pra me dar forças pra continuar

Pois eu sei o que é

Andar sozinho na solitáriarua dos sonhos

E aqui vou eu sozinho de novo

Descendo a única rua que eu conheci

Como um nômade eu nasci pra andar sozinho

E eu mudei de idéiaNão vou perder mais tempo

Apenas mais um coração que precisa de resgate

Esperando pela doce caridade do amor

E eu vou segurar a onda, pelo resto dos meus dias

Pois eu sei o que é

Andar sozinho na solitáriarua dos sonhos

E aqui vou eu sozinho de novo

Descendo a única rua que eu conheci

Como um nômade eu nasci pra andar sozinho

Pois eu sei o que é

Andar sozinha na solitáriarua dos sonhos

domingo, 20 de abril de 2008

Quinta-feira,2 h:37 min.


Não consegui dormir direito nessa noite,nem nas noites de duas semanas atrás.Fico acordado,esperando algo que te traga de volta,ou até mesmo como poderei fazer isso.Mesmo que não há mais nada que eu possa fazer.

Vivo de lembranças,então.Seleciono cuidadosamente todos os nossos reais momentos felizes... Juntos. Me delicio ao sentir o primeiro beijo que te dei... A primeira página,do livro que parece ter chegado ao final. É.

Não me conformo,de fato.Talvez ponha a culpa em mim... Senti tanta coisa estranha rodear "a gente".

Abrindo mais,meus olhos,posso ver claramente que você não está mais aqui.Você ficará bem,sempre dirá que esquecerei tudo e que vou estar com um novo amor,e se engana cada vez que me chama de "amigo".É cru demais! Desde o começo eu fui algo a mais,porém você não sabia.Fui ?

Você tem amigos que te ajudarão a seguir em frente,enquanto eu olho cada passo que você dá.Ficarei parado,sempre a te observar.

Esperar...


Aquela que é meu Sol,minha Lua... Meu mundo inteiro.







PS(para mim mesmo).: Eu não queria postar isso.

domingo, 13 de abril de 2008

O pote vazio

De uma hora pra outra... puufft!

Pois é,eu não consigo ter idéias legais,as palavras parecem ter sumido da minha mente,do meu corpo.Vazio.
Eu me lembro muito bem de como é ficar nessa,e agora eu tenho que passar por isso de novo,mas manterei a minha promessa.Se não há mais o que jogar,eu vou jogando comigo mesmo,com os meus sonhos e com as minhas confabulações.
Talvez seja menos doloroso,ou mais doloroso,sei lá... O fato é que não dá pra fingir que tá tudo bem comigo.Não tá tudo bem comigo!

Sem querer,eu vou ir me afastando do cais,mas não porque eu quero remar o meu barco para longe do porto seguro.Mas é que os ventos estão me guiando pra longe,eu sinto... Fato catatônico.
Tô tentando equilibrar as coisas,mas eu só sei reclamar da situação,mas não há nada que se possa fazer.A não ser reclamar,mesmo.Talvez assim seja mais fácil "aceitar" isso.

Tô odiando tudo,tudo e quase todos.Não sei porque,mas eu tô.Acredito que seja passageiro,mas nem tudo passa.Mas vai passar... AAAARGH!! tô numa incansável batalha contra mim mesmo! Não quero sair mais do meu quarto,quero ouvir todos os cd's do Sonata Arctica até que uma montanha com todas as pilhas alcalinas do mundo,se formem lá.Queria que não amanhecesse mais,pra não ter que ver o primeiro raio de sol,nem o sol.Queria que chovesse até ter um segundo,terceio,quarto dilúvio.Mas no fundo mesmo,o que eu queria era ver um único sorriso.Sorriso que eu não vejo há tempos.

Dream Theater,canta...


"...Take away my pain
Let the cold inside
It's time to let it rain
There's nothing left to hide
Take away my pain
I'm not frightened anymore
I'm learning to survive
Without you in my life
Til you come knocking at my door..."







Assim espero... Espero.

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Desmoronando.



Não é fácil...
nem pra mim nem pra você.

Eu não sei o que escrever agora,noite passada eu poderia escrever até o próximo fim de semana,as coisas parecem embaralhadas demais.Ninguém sabe o que eu tô sentindo,por mais que já tenham passado por isso,eu afirmo que isso é algo diferente,na essência.Algo longe de ser passageiro.
Eu errei,e todos sabem disso.Minhas falhas,eu reconheço e sempre fiz tudo pra melhorar o que foi gasto,mesmo quando tropecei algumas vezes,eu derramei sangue.Sangue esse que foi todo por você.
Nunca medi esforços pra te lembrar o quanto você significava/significa pra mim,mesmo sobre essas circunstâncias.Pena que sempre a culpa caia sobre mim...


"... O culpado é você e acabou >.<' "


Eu quis resgatar tudo,e seus sentimentos criaram uma barreira sobre mim,parecendo ser indestrutível.Eu tentei,meu amor.
Errei mais uma vez em tentar te excluir da minha vida,por um momento de decepção.Mas pareço não poder resistir sem você.Me chame de fraco =\
Leio todas as suas cartas,todos os dias às 21:40 h,em ponto.Posso me sentir mais próximo de você,e com suas palavras eu te vejo comigo novamente.Sorrindo.


"... Obrigado por dar vida a minha vida."


Parte das coisas,parte do que eu sinto... Você ja sabe de cor.
Me conhece mais do que eu mesmo,ou qualquer pessoa da minha família.
Você foi a minha família!
Enfim...
Hoje as coisas não são coloridas pra mim,perdi o gosto por isso e por aquilo... Perdi o gosto por mim mesmo e por todas as coisas que me rodeiam.Evito ouvir palavras de compaixão,pois só quero ouvir você.



"... Se você for o choro,eu serei a lágrima."


Ando pelas ruas com a cabeça baixa,acordo às 11,às 12 como o que acho suficiente e 13 :30 eu saio sem qualquer motivação.Tudo me faz questão de lembrar que você existe,na televisão alguém com suas características,e eu nunca vi o seu nome aparecer tantas vezes.No rádio,sempre há algo que parece você ter mandado tocar.


" Pra sempre,me promete ?"



Não quebrarei a minha promessa.
Eu realmente te amo.

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Sonata Arctica - The End Of This Chapter

(Ao telefone)

"Alô"
"Ora ora, como você está?"
"aah, quem é?"
"Quem você acha que é?"
"Pare, quem é?"
"Você sabe muito bem quem sou eu"
"Você quase escapou de mim, não foi?"
"Oh meu deus, não pode ser!, você não pode ser!"
"Hahahaha... Oui oui mon amore, c'est moi!

"Capítulo Um

Eu te dei meu tempo
Eu te dei toda minha vida
Eu te dei meu amor, cada centavo
Eles me disseram que isso era... um crime
Você se lembra?
Ou foi tudo em vão...

Capítulo Dois

Eu olhei para a luz,eu invadi sua mina de carvão
A promessa que eles fizeram eu devo manter?
Tenha certeza que nunca nos encontraremos
Eu não posso me lembrar
A profunda promessa que eu fiz
Me diga que o passado não morrerá...


Capítulo Três

Por céus escuros,eu viajei sem uma luz
Eu afundei no poço da minha mente
Muito fundo, para nunca ser encontrado

...

Capítulo Cinco
Me desculpe, eu estou aqui
Eu não tenho certeza se isso deveria te trazer medo
Eu sussurro no seu ouvido
Por que ele está aqui?

Capítulo Seis
Enquanto você dorme, eu roubo seu brinco
Acendo uma vela, essa raiva que eu sinto
Eles disseram que eu não te acharia, mas agora eu estou atrás de você
Eu não sou tão estável
Você deveria saber que você é minha

Eu te digo que o passado não morrerá...

domingo, 6 de abril de 2008

Nadar contra a correnteza...

Esse é meu esporte!

Não sei quando comecei a praticá-lo,mas sei que foi uma das melhores coisas que fiz da vida,quer dizer,que faço até agora.Acho que todo mundo tem que buscar o seu diferencial,seja qual for ele.Aliás todo ser humano já nasce com o seu diferencial.Bom,o homem é produto do meio e isso certamente irá definir se o indíviduo irá buscar o seu prórprio incomum ou não.

Lembro-me do dia em que disse para ela que seria... Que seria somente dela,e de ninguém mais.Eu não estava mentindo.Não consigo amar ninguém,nem quase a mim mesmo,geralmente passo os dias pensando no que fazer,na música que ouvir ou do que a próxima mensagem irá falar... Ou até mesmo como será a conversa da próxima semana.Eu já posso até ouvi-la : "Você é doido!"

ai,aai...

Mas,sim! Eu tô ficando meio doido mesmo,e não me importo com isso desde que ela esteja bem.As vezes eu acabo até deixando-a atordoada também,mas porra... As vezes as emoções tomam conta da gente,como uma onda.Acabo machucando ela também,e me auto-machucando.
Ela tá num momento de fraqueza,e é triste ver a minha pequena,assim.Se entregou a um buraco profundo e vazio,como ela diz.Com isso,voltam a minha mente as minhas cenas... O meu filme,em que ela passou a ser a protagonista.Uma pessoa pode fazer a diferença, as vezes...

Ela fez algo de grandes proporções na minha vida,fez muito bem para minha auto-estima que costumava estar láá na Capadócia.E se as coisas fossem invertidas ? Bom,não interessa.Farei de qualquer coisa minha,um coração e suportarei isso até não mais poder suportar.Não,não é "suportar",quando se ama não se "suporta" a pessoa amada.A gente enfrenta as dificuldades,juntos! E será isso que farei por você...

Até conseguir "pagar" a minha Eterna dívida.





"Você me deu a chance,
tempo e outra vez em vão
Agora meus sentimentos são para você
Toda lagrima, todo sorriso,
Pagos completamente
Destruiu a corrente, mas não por muito tempo
EU posso pegar a dor"

Sonata Arctica- Paid in Full

sexta-feira, 4 de abril de 2008

Palavras esquecidas,palavras "proibidas"...

Me senti quase inferior,hoje.
Amigos,irmãos,homens... Mulheres.Para muitos deles,mulheres são como qualquer caramelo,só tirar a embalagem e saborear o produto,ou será só o momento com o tal produto ? ou o gosto do momento do produto ? O fato é,algo em tudo isso me incomoda bastante.Rodas de amigos costumam se formar diante de mim e nunca tive vergonha da palavra "virgem".

Enquanto eles pareciam se gloriar com a última transa,contando cada detalhe do que fizeram e do que pretendiam fazer,destraído,eu olhava os carros e me perguntava se algum deles já sentiu amor de verdade.Voltando ao meu quase juízo perfeito,e sem responder a qualquer pergunta dirigida a mim,disse que nunca havia "tocado" uma mulher.Risos,seguido de um "colé,Claus,tá vacilando..." Eu não vi graça,não porque falavam,ou melhor,zombavam de mim,mas porque não pensava como eles,me senti incomum... Senti uma ponta de orgulho de mim mesmo,e só pra citar,isso quase nunca acontece.

Por outro lado,via o sorriso no rosto de cada um deles,via como pareciam não se preocupar com nada.De fato,eram felizes assim mesmo.Não me lembro de terem citado uma mulher em especial,nem lembro de terem falado em "amor" ou "paixão"... Comparei-os com animais,em pensamento."Eles são felizes..." rapidamente eu pensei,e não que eu não seja,pelo contrário... Amo a mulher que sempre quis,escrevo cartas e não tenho receio em falar o que sinto de várias formas.alguns me disseram que queriam ser como eu.Sorri.

Mas vendo tudo isso,pensei em algo no caminho de volta para casa... Até que ponto ser um homem um tanto quanto sensível,me incomoda.Eu tenho desejos como qualquer outro homem comum,mas as vezes sou tido como rara excessão.Poderia ser muuito bom pra mim,até hoje a tarde,quando descobri que muitos dos meus desejos são reprimidos por isso...

Preciso conversar. =/