domingo, 27 de julho de 2008

"Lamentável"...






Foi apenas uma das várias palavras que encontrei para aquela situação. Talvez em parte, mas quero poder não lamentar mais nada por... "nós". Pode ser uma longa caminhada até que isto seja consolidado, e prometo não pegar o caminho mais curto dessa vez.

Avistei teus cabelos claros, dançando sobre o vento frio do crepúsculo de uma segunda - feira, e meus olhos acompanharam cada passo seu, até que você desaparecesse completamente ao atravessar a rua. Tive vontade de checar se realmente tinha sido você, embora eu já tivesse toda certeza de que eu precisava. Decidi então apressar os passos, imaginando se precisaria MESMO, te ver, depois de tantos dias... longos dias... Claro! Te alcancei, e ao mesmo tempo te assustei ao me aproximar... Talvez. Algo me dizia que você tinha me visto primeiro a poucos quarteirões atrás. Não queria olhar em teus olhos, e fui te acompanhando mantendo meu olhar sobre as ruas, mas com a mente a trabalhar você.

Minhas mãos suavam e estavam mais frias que de costume. Não ouvi muita coisa sobre o que você me falava, mas ouvi o nosso silêncio na maior parte do caminho, e tudo o que mais queria era sair dalí, mas fui me escondendo atrás de outras vontades que tive até seu olhar me capturar firme. Foi quando senti que minha defesa havia se rompido. Correspondi teu olhar, e tive a sensação de ter recebido vários cubos de gelo na face, em seu rosto sem muita expressão, estava escrito em letras garrafais que eu não deveria estar alí. Nos afastamos logo após do teu abraço reclamado por mim, e observei você seguir sem olhar para trás.


Sim, você é tão independente... Sempre pronta para outra virada, dona de qualquer jogo... Me deu uma coroa e logo após abriu meu peito com a lança mais afiada que encontrou. Foi o castigo designado pelo jeito sujo como tu me julgaste. Mesmo ferido, eu pretendo me reerguer... Sem trapaças, serei tão forte quanto ou mais que você, dono do meu próprio jogo... Do meu amor próprio.



Uma vez que a pedra
Sob a qual você está rastejando
É retirada de seus ombros...
Uma vez que que a nuvem que está chovendo
Sobre a sua cabeça desaparece...
O barulho que você ouvirá
É de quando os anos vazios desmoronarem


( Hollow Years - Dream Theater )

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Mudar...

Mudar é preciso!

Bom, eu tô fazendo algumas mudanças na minha página, como vocês podem observar... Eu já estava arquitetando tudo desde a semana passada. Parti da idéia de que preciso mudar mais um pouco, ou pelo menos tentar mudar meu "eu", mas sem perder a minha verdadeira essência.

E com esse blog não vai ser diferente, o tema e os meus escritos vão continuar os mesmos, enfim. Quis deixar ele com um aspecto mais frio (literalmente). Não tenho muito o que falar, mas acho que tenho muito mais a mostrar, e não sei se vou conseguir mudar completamente o que quero, porque certas coisas por mais que a gente tente, nunca mudam. É da natureza de cada um, mas vamos lá... Ao menos eu tô tentando.


Ahh, obrigado vocês aí leitores do blog, e muuito obrigado mesmo pela galera que diz se encontrar nas minhas postagens! Cara, isso me faz muito feliz, me sinto útil! Sem falar que me inspira a escrever mais e tentar me superar a cada post. Bem, quero a opnião de vocês a respeito dessa nova cara da página. Enfim, domingo tem mais postagem, e em breve farei alguns contos por aqui, pra diversificar as postagens. O tema não vai mudar.

Bem, to meio sonolento agora... Mais uma vez, obrigado pessoal!
Abraços!

domingo, 20 de julho de 2008

Só mais um uivo...


E tudo que mais quero, neste e em outros momentos, é ter você. Ter a certeza que você estará lá, aqui... Carregando em si, tudo o que quase sempre me faltou. Sua alma farta em carinho, seu coração a bater em ritmos suaves e descompassados, sua pele clara como a luz do luar que invade o meu quarto nessa noite de inverno morto... Você.


Eu te quis desde o início, e durante todo esse tempo você foi me ajudando, me renovando e me mantendo no seu encanto quase inocente. Maravilhosamente simplista. O suficiente para me fazer te procurar durante quase todas as noites, desejando que isso nunca tivesse fim e ao menos imaginando que tão cedo houvesse um... Ao menos parece. Isso me torna impotente, não se o que fazer nem o que pensar. Não sei se esse meio termo te dará o que talvez você queira. Queria bater na sua janela, e desenhar as mais absurdas caretas sobre a poeira, então você saberia que era eu. Queria repousar sobre a nossa pedra e esperar até que meus olhos não me enganassem ao mínimo sinal teu.


Será que é certo gostar de você desse jeito ? já me vira antes bastante confuso sobre esta questão.Noites a fio acordado pensando nisso, muitos dias atrás. Sempre soube que algo em ti, me chamaria a atenção... Tudo. E seus cabelos... Ah! Seus lindos e claros cabelos, como não poderia falar deles ? Tento resgatar na memória o suave aroma das sedosas ondulações dos teus louros fios. Você encontra-se não muito longe de mim, talvez uns 2 a 3 Km, no máximo (não nos fins de semana). Com o passar dos dias, temo que esse abismo acabe por aumentar ainda mais a nossa distância, se é que você pode me entender... Não sei se há alguém te desejando, não sei se você está realmente bem (espero que sim!), mas sei que ninguém sente algo tão maravilhoso e verdadeiro por você, quanto eu. Se eu pudesse, te tomaria meu coração de volta, e deixaria você roubá-lo novamente.


Saudades... foi só o que restou ?

sexta-feira, 18 de julho de 2008

"Dead" Girl... / SELO!



Eu escrevo todas as linhas que você quer,
com palavras eu ouso usar de todos os artifícios...
os que você me vem ensinado ao longo dos tempos.
Você faz uma sombra perfeita em meu papel,
E desvanece-se com luz solar.
Temo a maneira que você me conhece...
O amor pode deixar uma mancha...
Você rouba minha única esperança e me faz ficar acordado outra noite
Então,eu desejo que voce aguarde comigo, fique próxima a mim
quando as folhas do outono caírem...
Solidão, minha dor, a última coisa que sobrou de mim...






Se você cair, eu te pegarei, se você amar, eu amarei...

"Dead" Girl






Sem muito o que escrever por essa noite. Deixando a música entrar em meus ouvidos e esperando que faça a revolução em meu ser... Sonata Arctica me inspirando,sempre!


Ganhei isso da Renata (http://desassossegonabolsa.blogspot.com/)... Bem,não sei bem o propósito do tal "selo",mas tudo bem,segue a lista do meus blogs mais queridos que vão levar o selo :

http://www.lifesicklylifedead.blogspot.com/ { "vizinha" x) que tá desenvolvendo uma escrita fantástica}

http://jemimmamedeiros.blogspot.com/ { aah essa é uma mocinha bem bacana,quase sempre vem aqui e diz se encontrar nos meus textos também}

http://garotonaadolescencia.blogspot.com/ {nesse o debate rola solto,muito bacana mesmo!}

http://semfronteirasnaweb.blogspot.com/ { galerinha massa e inteligente,cultura total!}

Enfim,gostaria de postar mais links,mas qualquer coisa olhem alí do lado...

;)

domingo, 13 de julho de 2008

Droga! é a droga...

Talvez nada esteja indo muito bem para mim. Apesar de só escrever sobre minha vida amorosa,todo o resto das coisas que pareciam me extasiar, agora são só mais um número a somar nas contas de dificuldade. O resultado dessas operações ? Desânimo, insônia e falta de apetite (essa última,nem sempre). Não é preciso tirar a prova real pra constatar isso em mim. Paixão sempre foi,ao meu ver,algo extremamente especial, algo que sei realmente levar a sério, e que nesse momento, passo a odiá-la. É uma maldita poesia que parece ser escrita por demônios (às vezes).

Chego em casa um pouco cansado, em média 2 Km para ir, e uns 3Km para voltar (quando não há desvios) do cursinho. Adoro andar para clarear as idéias ao som de uma boa música! A brisa da noite por aqui, parece levar alguns pensamentos negativos para bem longe e dissolvê-los em macromoléculas, ao mesmo tempo, arrepiam-me os pêlos do corpo e uma falsa sensação de poder me inspira em coisas da quais devo fazer. A sensação some, mas as idéias permanecem. Algo tão bobo e simples, mas fazer o que ? eu adoro isso!


Uma das coisas que não gosto (aliás,ninguém gosta!), é a sensação de vazio, de uma parte sua que parece estar desmoronando... de um abismo que foi formado entre eu e Ela. Ainda não acredito que algo (relativamente pequeno) foi capaz de nos derrubar. Nos sentimos muito mal. Sinto por ela, que tem a impressão que está mergulhada em um estranho deja vu, por conta das experiências passadas, e por mim, que causei todo mal entendido... Sim! foi um mal entendido. Me sinto péssimo! todos os dias.


Meus pais devem achar que eu sou usuário de drogas, por conta do meu jeito calado e bastante² reservado entre minhas músicas e meu quarto. Mas querem saber ? Sim, eu uso drogas... uma droga que também causa alucinações, que vicia, que te faz pensar e fazer loucuras! uma droga que provavelmente você já usou ou pode estar usando também, sem saber ou não... a paixão!
Talvez queira usá-la sempre... eu quero usá-la pra sempre! mas como toda droga,ela tem seus efeitos colaterais, e sinto estar a ponto de uma overdose.




Em todo sonho que eu tenho eu digo:
"eu não estou apaixonado por você"
Mas todo dia eu digo que sim
Você mexeu com minha cabeça tantas vezes
Me forçando a te amar...
(Sonata Arctica - Last Drop Falls)

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Bloodseeker rules! ;)

Saindo um pouco da minha linha sonhadora e um tanto quanto romântica,venho escrever sobre esses caras que conheço a menos de um ano. Pessoas que se tornaram importantes para mim,não só pelo que fazemos,mas pelo que eles fazem por mim,direta ou indiretamente.



Bem,primeiramente nós formamos uma banda de Death Metal Old School. Um som um tanto quanto tosco e irritante para os ouvidos não acostumados. Eu particularmente não sou fã desse estilo de Metal,e logo nos primeiros meses eu estava para não continuar tocando com os caras (e eles nem sabem disso!x]),pois meu sonho,desde que eu tinha 14 anos,era de formar uma banda de Heavy Metal (e ainda é!),mas nunca achei membros para isso por aqui.Principalmente alguém que cantasse lírico,tivesse uma voz de barítono ou que se virasse em falsestes.Certamente você deve estar se perguntando (ou não ¬¬) que diabos então eu estou fazendo nessa banda... enfim,vou exclarecer melhor isso.




Primeira noite de ensaio:
(da esq. para dir.) Wedersson (ex-baixista),Mauricio "Corpse (vocalista),Claus "Khaos" (baterista),Henrique Marcolin (guitarra)





Quando entrei pra Bloodseeker eu não conhecia ninguém,o vocalista eu conheci num show da Imago Mortis mas depois não mantivemos contato,após um tempo descobri que o mesmo mora a metros de mim. Eu realmente me sentia um estranho no ninho por não conhecer o som nem as bandas que influenciam o nosso projeto,e até então nunca tinha se quer tocado com pedal duplo. O primeiro ensaio foi em meados de dezembro do ano passado,e pra mim foi de tremer as pernas!
Certamente nunca havia tido experiência com pedal duplo,mas eu toquei relativamente bem,acho que foi a vontade e o clima de amizade que se formou logo nos primeiros ensaios,que me fez e que me faz evoluir e me dedicar cada vez mais por nós. Depois do primeiro ensaio,abrimos uma garrafa de vinho pra comemorar o primeiro ensaio da Bloodseeker e a minha aprovação e a do baixista na primeira fase da UFBA.





Bom,infelizmente o nosso baixista saiu pois teve que ir morar em Salvador por conta da faculdade,sendo substituído pelo atual.Ele ainda é novato tanto no som quanto na banda e na função que terá que ocupar daqui pra frente na banda,pois ele não criou fortes intimidades com o contra-baixo,mas tenho certeza que irá chegar lá! Não é apenas uma expectativa minha e dos outros membros da banda,os ensaios mostram isso! A evolução está acontecendo em todos nós,a prova disso ? temos o primeiro show marcado para 17 de agosto,temos 4 músicas prontas,iniciaremos a gravação da demo "Times to Hate",e faremos mais algumas músicas pro álbum.Em menos de um ano de banda conseguimos essas grandes conquistas,óbvio que não iremos parar por aqui.





Algo bem bacana me chama atenção em nossa banda,nós nos divertimos ensaiando,não somos constantemente cobrados um pelo outro e cada um sabe o quanto tem que se esforçar.As terças-feiras se tornaram uma válvula de escape de todos os dias da semana. Nunca brigamos por nada nem somos tão radicais um com o outro,pois cada integrante tem influências de um determinado tipo de música,todas variando entre os estilos de Metal,e algumas do rock n' roll tradicional.Vários desses elementos são usados nas nossas músicas,como uma receita,usamos um pouco de cada ingrediente. Tudo isso e mais o fator amizade,vem nos dando coragem e intusiasmo para mostrar um som com o nosso estilo... O estilo Bloodseeker! _\,,/





Atual formação:

(da esq. para dir.) Claus "Khaos",Mauricio "Corpse",Luis Felipe "Magister" e Henrique Marcolin (fundo).

Estamos entre amigos!

domingo, 6 de julho de 2008

Relembrando...


Acordei um pouco "vazio" hoje,como se algo faltasse em mim ou como se alguém o tivesse tirado de mim.Eu não sei muito bem o que possa ser,mas tudo parece ficar tão... tão sem graça nos últimos dias,que até pra escrever eu me sinto sufocado.Eu adoro escrever,me sinto feliz,mais leve,esperançoso quando posto meus sentimentos aqui... mas ainda sim me sinto vazio.Na verdade a única explicação mais provável para isso,é Ela...


Sim,a garota dos cabelos claros e cheirosos que eu tanto cito! A garota que enche meus olhos,que comanda o fluxo dos meus pensamentos e das minhas emoções! A dona do abraço mais caloroso,do rosto angelical e da voz tão suave quanto as ondulações dos seus cabelos ao vento.

A única que eu pude notar em meio a tantas outras criaturas.De primeira vista pareceria uma garota simples pra mim,mas por conhecer suas idéias,seus gostos musicais,suas manias(muitas idênticas a minha,a exemplo de comer pipoca com grill),seu jeito observador e crítico... é como se as luzes se apagassem sobre outras mulheres,e só restasse uma grande luz acesa sobre Ela.


Me sinto simples ao lado dela,e adoro olhar para aqueles olhos cor de mel,embora eles nunca tenham um ponto fixo por mais de 6 segundos.Ela é como uma flor pequenina e simples de um raro aroma no meio de um jardim com flores altas e de cores chamativas.Sorte a minha!sempre adorei as coisas simples da vida =) nelas eu sempre acho algo que me desperta a atenção,e com Carolina não foi diferente.Ela tem algo a mais,sim!

A conheci(pessoalmente) na noite do meu aniversário,acredito que não foi por acaso,pois de todas as felicitações,de todos os abraços,de todos os cheiros e sorrisos,só ficaram os dela.Foi a melhor coisa que aconteceu nos últimos meses!


Enquanto eu escrevo sobre ela,passam-se pequenos filmes aqui na minha mente e... bom,eu adoro isso,poucas são as coisas que eu realmente tenho o prazer em relembrar.Até nisso Carolina soube fazer a diferença x) coisas simples(também) aconteceram nesses períodos,e a companhia dela foi especial,essencial e incomparável.E ainda é! Me sentia esquecido antes de conhecê-la,e quando abrimos uma garrafa de vinho suave na praça,tudo mudou... tá certo que álcool em geral deixam as pessoas mais comunicativas,enfim,mas só sei que eu queria conhecer mais aquela garota com ar de mistério que estava sentada com as pernas cruzadas diante de mim.Enfim,foi algo magicamente,incrivelmente e especialmente simples conhecê-la,o que rolou depois... foi complicado pra mim,mas acabei por vencer alguns medos.Mais uma vez ela fez a diferença pra mim.


Eu tenho saudades de você,de te pedir pra não desgrudar mais do teu corpo quentinho e você me responder "não desgrude!"



Agora me arrependo de ter desgrudado tão cedo... talvez você ainda estivesse "aqui".Mas tudo bem,vamos deixar rolar... pode ser um bom recomeço!






"Porque eu penso onde você está
E eu penso em o que fazer
Você está em algum lugar se sentindo só
Ou há alguém te amando?
Diga-me como ganhar seu coração
Porque eu não tenho idéia
Mas me deixe começar dizendo, eu te amo"

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Eu o fiz... eu tentei!


Sim,eu fiz o que tinha planejado...

Matar duas aulas no cursinho não foi difícil pra mim,aliás o momento mais difícil daquela segunda-feira,foi encarar o frio na barriga enquanto eu caminhava em direção à sua casa.

Parecia que já não estava dentro de mim quando me dei conta do que realmente faria.Pode ter sido algo simples aos seus olhos,mas para mim foi algo bastante inédito e complicado.


Minhas mãos tremiam enquanto eu me abaixava para pegar uma tira de madeira,ao mesmo tempo em que o papel com um soneto Camoniano parecia querer ganhar vida na minha mão esquerda.O sopro dos ventos frios que sopravam por aquele lugar quieto onde você mora me fazia ter mais receio do que eu estava a fazer.Coloquei a "flor-Carolina" no pequeno espaço que se formava entre os cantos do envelope,e com a mão direita um pouco suja da terra molhada,levantei a janela do seu quarto e te destinei a carta.Esperei ouvir o som do envelope se abrir ou o som do mais belo corpo levantar-se do repouso.


Eu não poderia ficar do lado da sua janela,quis evitar que você me visse fazendo aquilo.Fui para mais longe,e me escondi atrás do muro de um terreno baldio.Só não vi os espinhos que arranhavam meus pés,mas não me importava com isso desde que ocorresse tudo bem.Já anestesiado com uma mistura de ansiedade,saudade e paixão,fiquei a esperar o telefonema seu,confirmando o que te foi pedido na carta.Sem mais a paciência de esperar 5 minutos que pareciam a eternidade naquele momento,eu te liguei,e pude ouvir sua voz tímida e sussurrante.Haviam se passado 4 longos dias que não nos falávamos,e as noites eram mais longas que os dias,(nesses 4 dias)Enfim...


E você estava a ler o soneto que eu escrevi na areia molhada,junto a nossa pedra,nosso canto.Vim te recitando outra parte que não tive a oportunidade de escrever,não sei se foi pr nervosismo ou porque a areia estava molhada demais,e no momento que fui a seu encontro com uma rosa nas mãos... quando nossos olhos se encontraram,e a distância entre nossas vozes e entre nossos corpos,diminuíram,ouvi duas palavras escaparem da sua boca:


"que lindo..."


Talvez você até não se recorde desse mínimo detalhe,mas foi como ouvir um Power Metal em alta velocidade... os pelos do meu corpo se arrepiaram,e eu vi você elevar a mão esquerda até a sua boca que estava a tremer,talvez pelo frio,ou por seus longos e lindos cabelos claros que estavam úmidos... E eu tremi,tremi e enchi os pulmões de ar e falei,temendo que perdesse a voz no meio da seguinte frase:


"Desculpa... acho que a gente não deve acabar desse jeito..."


Embora tenha conseguido falar certo,ter escrito o soneto (meio ilegível) certo,ter sentido o cheiro dos seus cabelos,do seu corpo... TOCADO SEU ROSTO,não obtive o êxito que esperava.Você está em dúvida,mas pelo menos eu arranquei o cruel negativismo de mim! e talvez de você também...


Nos gostamos muito,Carolina,e sabemos que isso não pode parar por aqui!

Quero fazer o que nenhum outro fez por ti,me dedicar a você... a nós!

Tá ficando difícil sem você.

talvez você leia isso,talvez não... talvez seja só mais um texto de Claus Burgos,o taurino teimoso...


Enfim,tô com sono... irei dormir.