domingo, 19 de julho de 2009

Esperando por você.


Não era um sonho. Era mais real do que eu pensava, mais do que estava à mostra. Estava tão nervoso que não consegui pensar em mais nada, meu corpo já não obedecia aos meus comandos, nem a minha voz. "Controle-se" e tudo o que eu quis foi correr até lá. Não poderia parar nenhum sentimento, mesmo já me sentindo assim antes, ela me fez perder o controle... Cada vez mais perto e perto, até que finalmente chegasse a hora em que meus olhos não acreditariam no que estavam vendo! Lá estava ela. Vestida de toda doçura, uma mulher! Olhar sereno... O seu sorriso sufocava toda minha saudade e ansiedade de alguém que nunca me soou familiar.
Até então, toda solidão estava em minha pele, até nossos corpos se tocarem. De repente alí, compondo aquele precioso momento, nós fechamos um grande abismo entre duas almas. Caminhando, ela deixou em cada lugar da cidade sua graça, que mais tarde me tomaria de saudade. Tudo o que eu pude ver em seus olhos, ouvir de sua voz há dias tão longe e agora tão próxima a mim... Nós fomos pegos pelo momento. O Sol já havia caído, levando cada hora do dia. Naquela noite cinza e fria de inverno, ela transformou quatro paredes num paraíso. Seu corpo terno de calor, de um perfume tão incomum, me fez seu pequeno refúgio. Desenhando cada parte sua, fazendo-me sentir salvo, me beijando e me explorando como nenhuma havia feito... Transformando-me. Aqui estou, seu desbravador.
Naquele estado de espírito, nosso silêncio poderia ser um crime, as palavras não ditas... Dificilmente encontradas por nós, mas em uma sintonia aparentemente perfeita. Seus olhos me contavam muito, e quando encontramos uma pequena versão de nós, um no outro, já era o "suficiente" por aquela noite. O tempo, tão relativo, não me deixou escolha... A não ser um beijo de boa noite e a promessa que no outro dia, quando os primeiros raios de sol a iluminassem, eu estaria lá, junto à ela... Tentando esticar ao máximo cada "último" momento.
à dona dos meus pensamentos, Nany.

domingo, 5 de julho de 2009

Tão perto, tão longe.



Eu posso ouvir tanta coisa em seus suspiros... Em seus olhos, o recomeço de todo meu mundo. Em sua boca, palavras guardadas que ambos deveríamos dizer. O sol está caindo lá longe, quase tocando as montanhas bancas. As estrelas já estão no céu, mas nós poderíamos viver para sempre esta noite, porque é tão bom estar com você... Então não fale mais nada, apenas encoste sua cabeça em meu ombro. Sinta como você muda a minha respiração, enquanto minhas mãos contornam cada traço do teu corpo. Eu estava cansado de esperar, meus horizontes pareciam tão distantes... Sem um lugar para repousar, como um pássaro sem um ninho, planando muito abaixo das nuvens. Agora, tudo o que eu estive procurando, está bem aqui me abraçando tão forte, como se fosse a primeira ou a última vez. Ao menos hoje, todo lugar não me parece estranho, a lua tem um brilho mais intenso, pois você está por perto. A mensagem no teu sorriso revela o maior tesouro que um homem pode dar a uma mulher, uma alegria que parece durar para sempre. Eu me segurei tanto tempo, com medo de deixar fluir... E agora eu te quero demais, algo que você fez tomou conta de mim. Mas já sinto tua ausência, acumulada de vários dias... Horas, minutos, segundos! Conspirações de tempo e lugar tentam afastar o toque de nossas mãos. Porque nós sabemos o quão difícil é a despedida, e quando você me abraça desse jeito, você não está ajudando. Então, eu sei que quando você virar por aquela esquina, e meus olhos não puderem te enxergar mais, a saudade transbordará em todo meu corpo, como sentimento mais urgente que há. Mas até que nos reunamos, eu ainda viverei por essa noite... Esperando pela hora que duas almas se reencontrarão.
kanssa inspiraatio, Jéssica Soares