domingo, 24 de agosto de 2008

Conto,"Páginas Erradas" III Parte

Manhã de segunda-feira, os primeiros raios de sol já começavam a aquecer e preparar a cidade de Coleharbor para o corre-corre diário. Tommy acordou cedo, muito cedo. Na verdade não conseguira dormir direito e parece que o seu dia seria literalmente arrastado. Olhou no relógio que ainda marcavam cinco e vinte e três da manhã e decidiu levantar-se, porque se tentasse repor seu sono, só conseguiria o fazer na real hora de levantar. Depois de realizar todos os métodos higiênicos do dia, desceu as escadas até a cozinha, puxou uma cadeira e ficou a observar sua mãe preparar o café da manhã. Mrs. Revers percebeu tristeza e preocupação no olhar de Tommy. Coisa de mãe.
- Bom dia, filho!
- Oi, mãe.
Sr. Anthony, pai de Tommy, desceu às pressas para o café da manhã. Era um homem muito ocupado e quase nunca tinha um tempo maior com a família, e Tommy era o que mais sentia falta de uma companhia, um amigo. Sr. Anthony, no entanto, adorava sua família e no fundo, também sentia falta da companhia e do calor de sua esposa e do filho. Com uma xícara de café com creme na mão direita e endireitando seu paletó com a mão esquerda, cumprimentou Tommy apressadamente.
- Ei, campeão! Como vai a força?!
- Oi, pai! Bom dia.
Mrs. Revers acabou de preparar as panquecas e enquanto servia o marido, pediu para Tommy ligar a televisão. Era a hora do noticiário da manhã.
-... E vamos para as últimas notícias! Os corpos de dois jovens, ambos de dezessete anos, foram encontrados dentro de latões de lixo em um dos becos do centro de Coleharbor. As vítimas, Mike Garrisson e Joey Lione, foram atingidas por três tiros na noite passada. Acredita-se que o motivo foi a disputa por áreas de tráfico de drogas.


Laura terminou de tomar o café da manhã e foi para o seu quarto para mais uma ajeitada no cabelo, era a terceira vez que ela fora ao espelho. Acordou feliz, pois queria e sabia que iria encontrar Martin no colégio. Despediu-se de sua mãe e de seu pai com dois beijos em cada um, e seguiu andando para o colégio que não ficava muito longe de casa. Avistou Tommy seguindo o mesmo trajeto pelo outro lado da rua e decidiu o acompanhar.
- Tommy, espera!
Laura esperou o sinal fechar e a luz verde para os pedestres aparecer.
- Bom dia, Tom! Como está ?
- Bom dia, bem.
Era impressão sua, ou Tommy parecia aborrecido naquela manhã ? Laura notou uma ar diferente em Tommy, mas pensou que isso seria lago familiar e logo resolveu falar do que interessava para ela, Martin Klingemberg.
- Ai, Tom! Será que Martin está interessado em mim... E se não for ? Mas acho que eu to gostando dele e...
- Droga, Laura! Pára de falar desse cara, eu não agüento mais!- Tommy gritou sem querer com Laura e isso doeu muito mais nele mesmo. Apressando seus passos, Tommy deixou Laura para trás e atravessou o portão do colégio 7 segundos antes de Laura, que andou a passos lentos tentando compreender o que se passava com Tommy. De fato ele estava muito irritado, e isso não poderia surgir do nada. Pensou como Tom ficava diferente toda vez que estavam juntos ou quando ela falava de Martin, até o jeito como ele se comportava mudava. Laura ligou as peças do quebra-cabeça e percebeu que talvez Tommy estivesse com ciúmes de Martin e até aí achou normal. Mas temia que Tom estivesse apaixonado por ela também, porém descartou essa possibilidade.
- Ah... Não pode ser, deixa de pensar besteira mocinha. - Laura se advertiu. Logo, estava “cega”.






Oi, gente! Primeiramente eu queria dizer que não deu pra postar na semana passada porque tive que tocar com minha banda no nosso primeiro show =D! Foi o melhor som que já toquei. E domingo que vem a gente vai tocar em outra cidade vizinha e não sei se vou postar a continuação, se der posto sábado ou sexta. Um abração pra galera que tá curtindo um conto, valeu!

7 comentários:

JVinee Bertonie disse...

Primeiro, eu entendo sua falta de tempo. Tudo bem!!! Espero que você saia desse 'aperto de tempo' e posso postar mais vezes.
Segundo, não posso ler a III parte agora, tá tarde já, vou ler amanhã ai comento de verdade, okay?
Terceiro, me exclarece uma dúvida enoorme minha: Tu é brasileiro ou americano?
xD
abraços

JVinee Bertonie disse...

Jáá lii (não deu pra esperar o 'amanhã').
Adorei a III parte. Afz, que Laura devagar, tá uma mocinha apaixonada e cega mesmo.
Tô adorando o conto e espero logo a IV parte!!!
xD
abraços

JVinee Bertonie disse...

Naum me lembro de vc ter me dito que era baiano.
É que, sei lá, teu blog tem tanta influencia americana. Rock, o conto se passa nos EUA.
Achei que tu fosse um americano que sabia falar portugues, ou um brasileiro influenciado pela América!!!
LOL -->pr miim

JVinee Bertonie disse...

Tem selo pr você no meu blog!!!

Jemimma ~♥~ disse...

Meu Lindo!!
Já tava com saudade de vc...
Meu blog tava tão triste rsrs
te adorooo... Beiijoo ;**

D. Diogo Klock disse...

pohh q lokoo...
meus parabens cara...
ta excelente....

abraço

Henrii Never disse...

Ah kra ... acho que não é um bom momento pra um relacionamento ;/

Vou deixar rolar e curtir a vida ... e sei que vou encontrar minha alma gêmea ;P