domingo, 27 de julho de 2008

"Lamentável"...






Foi apenas uma das várias palavras que encontrei para aquela situação. Talvez em parte, mas quero poder não lamentar mais nada por... "nós". Pode ser uma longa caminhada até que isto seja consolidado, e prometo não pegar o caminho mais curto dessa vez.

Avistei teus cabelos claros, dançando sobre o vento frio do crepúsculo de uma segunda - feira, e meus olhos acompanharam cada passo seu, até que você desaparecesse completamente ao atravessar a rua. Tive vontade de checar se realmente tinha sido você, embora eu já tivesse toda certeza de que eu precisava. Decidi então apressar os passos, imaginando se precisaria MESMO, te ver, depois de tantos dias... longos dias... Claro! Te alcancei, e ao mesmo tempo te assustei ao me aproximar... Talvez. Algo me dizia que você tinha me visto primeiro a poucos quarteirões atrás. Não queria olhar em teus olhos, e fui te acompanhando mantendo meu olhar sobre as ruas, mas com a mente a trabalhar você.

Minhas mãos suavam e estavam mais frias que de costume. Não ouvi muita coisa sobre o que você me falava, mas ouvi o nosso silêncio na maior parte do caminho, e tudo o que mais queria era sair dalí, mas fui me escondendo atrás de outras vontades que tive até seu olhar me capturar firme. Foi quando senti que minha defesa havia se rompido. Correspondi teu olhar, e tive a sensação de ter recebido vários cubos de gelo na face, em seu rosto sem muita expressão, estava escrito em letras garrafais que eu não deveria estar alí. Nos afastamos logo após do teu abraço reclamado por mim, e observei você seguir sem olhar para trás.


Sim, você é tão independente... Sempre pronta para outra virada, dona de qualquer jogo... Me deu uma coroa e logo após abriu meu peito com a lança mais afiada que encontrou. Foi o castigo designado pelo jeito sujo como tu me julgaste. Mesmo ferido, eu pretendo me reerguer... Sem trapaças, serei tão forte quanto ou mais que você, dono do meu próprio jogo... Do meu amor próprio.



Uma vez que a pedra
Sob a qual você está rastejando
É retirada de seus ombros...
Uma vez que que a nuvem que está chovendo
Sobre a sua cabeça desaparece...
O barulho que você ouvirá
É de quando os anos vazios desmoronarem


( Hollow Years - Dream Theater )

12 comentários:

Jemimma ~♥~ disse...

coisa linda!! Sei lá, sem palavras pra descrever... Só sei de uma coisa: COmo eu keria que alguém gostasse de mim como vc gosta da tal loira com ondas lindas nos cabelos... ai ai ai !!! Khaos, vc, sei não viu?? Seguir carreira amigo, vai ser bom!! Faz um livro, prometo q o primeiro eu compro! rsrsr

Bju, adoro-te!

Khaos disse...

eu tenho esse plano mesmo =)
mas ainda tenho que amadurecer umas idéias...
obrigado mesmo assim, jemmi!
;**

Rê Thuler disse...

Outrooo selo pra você queridoooo

Debiie disse...

Lindo post!
Palavras expressas de forma exata!
Parabéns...
bjos =]

Conto atômico & cômico disse...

muito bom isso tudo cara.. sempre é bom vir aqui ;]

Jemimma ~♥~ disse...

dEIXEI UM SELO PRA VC!!
VAI LÁ NO MEU E PEGA!

BJU ;*

D. Diogo Klock disse...

meus parabens ai...
força sempre...
pq eu.. eu já não gosto mais tanto assim do amor...

uhauhauha

boa sorte amigo...

http://mentealem.blogspot.com/

Giuh disse...

lindo demais, viajei juntoo
suas palavras são tão liindas, que eu nem sei o que falar, adorei mesmo




http://sorrisosdeplasticos.blogspot.com/

.::Morphina::. disse...

meu tomate
cada dia que passo aqui vc me surpreende x)
sem palavras o.o
sobre o q foi descrito conversamos pelo msn xD
saudades ;p

;*

Henryy Never disse...

Fala grande Khaos

se superou agora ... emocionei (sério)

Tá ficando profissional já cara ... como a amiga disse : Faça um livro =P

Tainá-O-Rama disse...

Gostei disso.
Bom blog!


Abraços

.::Morphina::. disse...

OPA! ^^
DEIXEI UM SELO PRA VC
VAI LÁ NO MEU E PEGA!

;*